A professora mestra Janice Botelho Souza do curso de Gestão Ambiental da FSG –
Centro Universitário da Serra, convidou a equipe da AGEX- Agência Experimental
de Comunicação para registrar um experimento que revela em pequena escala os
efeitos da “chuva ácida”.
São diversos os estragos ambientais causados por este fenômeno, como destruição
de folhas e galhos de árvores, contaminação do solo, contaminação de rios e lagos;
surgimento de doenças respiratórias; além de degradação de estátuas,
monumentos históricos, materiais usados na construção civil e estruturas
metálicas de prédios. Além disso, desgastam pontes, corroem tintura dos prédios e
casas nas regiões. A chuva ácida, provocada pela poluição, se concentra nas regiões
onde há muitas empresas metalúrgicas como a nossa cidade, Caxias do Sul, e nas
grandes metrópoles.

Experimento

A aula experimental teve o objetivo de mostrar os efeitos da chuva ácida na
natureza e como podem ser devastadores. A demonstração foi realizada em um
laboratório, e utilizados os seguintes materiais reagentes: Pote de vidro com
tampa, fita isolante; uma rosa vermelha; pó de enxofre (encontrado em farmácias
ou lojas de produtos naturais); uma colher (de café) fácil de ser entortada; uma
vela e papel indicador de pH.

O procedimento funcionou da seguinte forma: A professora colocou um pouco
de pó de enxofre na colher e a esquentou com a chama da vela até começar a sair
fumaça. Logo em seguida, começou a queima do pó de enxofre, ocasião em que a
rosa vermelha foi inserida dentro do pote de vidro. O pote é fechado rapidamente.
Após cerca de 15 minutos, a rosa começou a perder a cor, ficando esbranquiçada. O
experimento realizado foi uma demonstração em pequena escala dos efeitos da
chuva ácida.

Problema ambiental: chuva ácida
O problema ambiental que é chamado de “chuva ácida” ocorre quando existem os
óxidos de nitrogênio na atmosfera, que reagem com a água da chuva, formando o
ácido nítrico (HNO 3 ) e o ácido nitroso (HNO 2 ), que, ao longo do tempo, podem
causar certo impacto ambiental. Os gases são provenientes principalmente da
queima de combustíveis fósseis em indústrias e em veículos automotivos.

Por essa razão, o pH da água da chuva fica muito baixo, cerca de 4,5, o que causa
inúmeros estragos ambientais, como destruição de folhas e galhos das árvores,
contaminação do solo, provocando a sua alteração química; contaminação de rios e
lagos, levando à morte de peixes; bem como de águas subterrâneas; surgimento de
doenças respiratórias; além de degradação de estátuas, monumentos históricos,
materiais usados na construção civil e estruturas metálicas de prédios e pontes.
É por isso que a flor perde a cor. Olhando a cor do papel indicador de pH e
comparando-o com o padrão, é possível mostrar o valor aproximado d nível de
acidez da chuva caseira formada dentro do pote de vidro.