As acadêmicas de Jornalismo Alice Pellizzoni e Ana Paula Bombardelli concluem a graduação neste semestre. Aqui elas nos contam um pouco sobre as suas trajetórias no curso e dão dicas aos calouros.

ANA PAULA BOMBARDELI – Minha história como acadêmica de jornalismo foi longa. Mais do que como era de se esperar de alguém que precisa trabalhar para pagar os estudos. Ao longo dessa trajetória passei por outras instituições de ensino, mas foi no Centro Universitário da Serra Gaúcha onde tive a oportunidade para finalizar a graduação. Salvos alguns transtornos, decepções e questionamentos, que todo estudante passa ao longo da vida acadêmica, foram momentos de muito aprendizado e troca de experiências. Laços que se formaram, tanto com professores quanto com colegas, que vão durar para sempre. Cursei os três últimos semestres do meu curso na FSG e voltar aos estudos depois de um tempo fora da faculdade não foi tão complicado. Acredito que absorvi muito mais conhecimento agora do que quando passei no vestibular, com 18 anos. Foram dois momentos bastante distintos e fico feliz por olhar para traz e ver que tudo valeu a pena. A maturidade é uma grande aliada e proporciona um olhar diferenciado frente à academia. Aos que chegam agora: coragem e persistência, no final dá tudo certo! 😉 Para mim, com a conclusão da graduação penso em seguir os estudos em uma especialização ou, porque não, em uma segunda graduação? A FSG é uma boa opção!

ALICE PELIZZONI – Iniciei minha trajetória acadêmica em 2011 e demorou mais do que imaginei para concluir. Agora vejo que esse tempo foi necessário para o meu amadurecimento profissional. No início vem a preocupação do “e se”. E se eu não conseguir emprego nesta profissão? E se eu cansar das minhas atividades? Algumas frustrações do decorrer do curso são normais, mas a gente sobrevive a elas, porque há mais conquistas do que decepções, mais incentivo do que desencorajamento. E a gente vai tomando rumo, descobrindo nossos talentos. Agora eu me sinto grata pelo ciclo que encerra e feliz pela nova fase que inicia. Que venha a formatura! E lembrem-se, calouros, não importa o tempo que demorar, se você começar, um dia vai terminar. E se ainda colocar amor no que fizer, nunca vai precisar trabalhar, vai colher os resultados com uma facilidade que nem imagina.