Rafael Tomé concluiu uma importante etapa na sua vida e atua como profissional no S.E.R Caxias 

Aluno da primeira turma do curso de Jornalismo, Rafael Tomé, concluiu neste ano uma etapa importante da sua vida. Com o diploma em mãos, agora atua como profissional do mercado, é assessor de imprensa da S.E.R. Caxias, clube de futebol. Tomé foi o primeiro aluno a se formar no curso de Jornalismo que iniciou em 2012 na Faculdade América Latina, integrada ao Centro Universitário da Serra Gaúcha em 2014.

Antes mesmo de iniciar os estudos em comunicação já estava inserido no meio, trabalhou na Rádio Caxias em 2007 até 2012 e, migrou para o jornal Folha de Caxias, onde trabalhou durante um ano.

Como assessor de imprensa, Tomé vê essa atividade como um desafio novo na sua carreira, ” era uma função que não tinha pretensão de exercer nesse momento, mas a oportunidade surgiu e tem sido uma rica experiência trabalhar com a notícia do outro lado. A assessoria permite ter um entendimento maior sobre o Jornalismo e todas as suas formas de atuação”, conta.

Durante o decorrer do curso muitos projetos foram desenvolvidos e contaram com a participação de Tomé, como o Falatório, jornal oficial do curso de jornalismo. “Como era um curso novo, tivemos uma liberdade incrível na criação do Falatório e de outros projetos da faculdade. Pude crescer junto com o curso, com os professores e colegas”, relembra Rafael sobre o ambiente acadêmico, definindo como um ponto positivo para a sua trajetória desafiadora. “Desde o Felipe Gue Martini, coordenador do curso, até os outros professores sempre nos deram a possibilidade de dialogar sobre todas as atividades do curso e nos motivavam a interagir”, conta.

O mercado de trabalho para essa profissão exibe várias possibilidades de atuação, e o curso de jornalismo procura formar profissionais dinâmicos que serão capazes de se destacar pelo senso ético e crítico, além de estar sempre atento às questões sociais e aos novos formatos jornalísticos. Tomé ressalta a importância da formação acadêmica, em tempos que a obrigatoriedade do diploma é questionada: “Trabalhar agora, depois de formado, dá uma sensação de estar fazendo a coisa certa. Por mais que a prática do Jornalismo seja uma experiência enriquecedora, a academia é fundamental na formação do profissional. Sinto que concluí uma etapa importante nesse processo da construção do jornalista. É importante também seguir buscando aperfeiçoar e continuar estudando sempre.”

O curso de jornalismo é totalmente voltado para a formação ampla de um profissional conectado às tendências, e atualmente conta com cerca de 85 alunos em formação.